Páginas

segunda-feira, 21 de março de 2011

Breviário Obsceno III - Monólogo agridoce

- Se acha que eu vou lamber o chão por onde passa, está muito enganado, Senhor. Não são assim que as coisas acontecem no meu mundo. Sabe que morro de vontade desse misto insano que vive a contar para mim. Como acha que fica a infeliz da minha calcinha depois de escutar tanta coisa imunda? Posso até me vestir de menina, fingir pureza e recato, mas no meu íntimo, quero ser aquela piranha que tanto pinta nas tuas frases. Acha que é fácil negar a minha posição feminista e assumir que quero ser judiada e tratada como a pior das vadias? Porra, e pra que serviu queimar o sutiã se é um tapa na cara que quero... Odeio esse bando de homem frouxo que tenta me tratar como princesa, como menininha frágil ou como dondoca. Porque eles não entendem, o que eu quero é um homem para me maltratar. Violar meu maculado corpo para que minha alma seja apagada, e que possa nascer novamente, como s'eu fosse apenas brandura. Parece poesia barata, mas é apenas desejo. Como você conseguiu plantar todos estes desejos malditos em mim sem nunca ter me tocado? Sim, só pode ser um bruxo malvado que manipula a mente de quem abra a porta. E nem tive a opção de escolher. É a minha vontade que me movimenta, e todas as direções são apenas... uma. É injusto, muito. Pensa, que opção tive se tuas palavras eram tão amenas. Parece o Burlador de Sevilla de bigode galego. Desculpe... Não era para ser assim. Eu não posso me submeter... não assim. Que lugar-comum, fala de coisas que todas as mulheres têm vontade de fazer, mas, apenas uma meia dúzia admite. E a meia dúzia, provavelmente, são as tuas ex-namoradas. Que saco isso! Sabe de uma coisa, vou me vestir e ir embora. Sair e nunca mais olhar na tua cara. Seu safado! Sem vergonha!! Cachorro!!! Te odeio com todas as forças do meu corpo agonizante... sedento... de prazer. Porra, só com este olhar, já me deixou molhada novamente. Vê, estou escorrendo por ti. Vem, me usa como quiser. Vou ter que pedir muito? Droga, sei que é você quem manda. Perdão, o Senhor quem manda. Ainda não me acostumei bem com a ideia de o chamar de Senhor. Por favor, bate com força no meu corpo. Preciso disso. Não sabe como é difícil admitir, mas preciso muito. Sonhei tanto com o dia que iria me consumir. Veja, estou tão bonita. Amarradinha e imobilizada como o Senhor gosta. Chega mais perto, por favor. Deixa eu sentir o teu cheiro de homem. Está tão bonito com esta camiseta nova. Vermelho sempre lhe cai bem. Não me ignore assim. É muita judiaria deixar uma mulher com tanto tesão nesse estado inerte. Nada acontece. Eu não espero Godot, quero o teu pau latejando nas minhas víceras. Vem aqui. Minha boca saliva tanto. Deixa eu chupar ele. Ainda nem senti o gosto dele. Por favor, não aguento mais. Não, não quero a gag novamente. Não, por favor... Filha da P.....

Ele coloca mais uma vez a gag na boca da mocinha em fúria. Senta no sofá posto estrategicamente na frente da cama, pega o tubo de Pringles Barbecue e continua a mastigar lentamente, como é do seu costume. Gosta muito do que vê, e descansa no sétimo minuto.



Após um longo tempo de pensamentos tíbios, é importante voltar a escrever, ou o pseudo-escritor que finjo ser, morre.

Para este amontodado de coisas sem muita qualidade literária foi usada a seguinte mistureba:


  • A música Poker Face da Lady Gaga no modo "eu sou compulsivo pela mesma música e ainda bem que tenho fone de ouvido";
  • Aproximadamente 750 ml de Chá Mate Lipton Ice Tea de pêssego;
  • 8 cubos de gelo, que não são bem "cubos" e sim quase bolas, apenas faltando uma pequena calota no polo norte (sim, meu gelo é orientado magneticamente);
  • A primeira cena do filme Fuck Slaves, com a maravilhosa Sasha Grey sendo divinamente judiada (cheguei até a chorar de pena dela, pobre menina).
É importante dedicar este curto fragmento do meu breviário a todas as mulheres que não conseguem calar a boca. Quem muito fala, pouco tem a dizer. Saudades da Maria Caladinha, olhos baixos a gemer curtinho.

19 comentários:

luba disse...

caramba, genial..

Parece que foi uma mulher que escreveu. Digo... Só se poderia escrever assim vivendo tal coisa.


Mas, seu talento transcendeu a condição...


Perfeito. Parabéns.

Rafaela Lourenço disse...

nossa amei...
esse conflito interno é muito real ultimamente... me senti super representada... e a gag no final.. simplesmente perfeito
parabens

Amanda Rosa de Bittencourt disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
dog pet_JS disse...

uai jon, n sabia que me conhecia tão profundamente. onde ta a camera q escondeu aqui, deixa ver ali no canto da parede.......


petbeijos...

srta disse...

E ele disse: sou muito de conhecer a fundo...trazer as coisas a tona!

Eis a prova escrita!!

Só faltou a mocinha piranha comentar das noites mal dormidas de tanto tesão, do trabalho mal feito de tamanha vontade de lhe servir!

kau_lagata disse...

Poxa adorei Jonatan, parabens, otimo trabalho, pode ter certeza que o sono foi embora hehehehe!! =**

{kau}_Lord Ares

Fernanda Schimanski disse...

Conflito interessante, possível até.Eu ando muito voltada para o feminismo nos últimos tempos, e como já me conheces gosto porque tenho meu lado escritora e sacana, mas desgosto pela forma que trata a mulher nesses textos... vivo conflitos ao vir aqui ler e comentar. Em resumo acho que tu Jonatan, e seus textos são "perturbadores".

E isso não é de todo mau.

Antônio Celso disse...

É o paradoxo da modernidade. A liberdade enquanto conceito encontra-se cada vez mais estilhaçada diante das mudanças que ocorrem cada vez mais depressa.

A queima dos soutiens hoje não faz mais nenhum sentido, simbolicamente, uma vez que a subversão dos valores em relacionamentos adquiriu outra "roupagem".

Muito interessante essa análise, Jonatan. Parabéns!

Mariii disse...

Haaa... caramba, que injusto isso, como pode já conhecer esse conflito tão intimo? Bah, tah, pergunta idiota rsrsrsrs
Belo, texto, bela representação... Mais uma vez vejo a cena com tanta intensidade que sinto oq ela sente, só me pergunto se ficaria de fato tão calmo se eu falasse filho da p. no final tbm rsrsrsrsrsrs
Otimo lhe ver novamente no mundo dos blogs \o/
Bjsss

Rafael Galelli disse...

Tonico sempre muito filosófico.

Bom, estás fazendo por merecer o aviso na entrada do blog e a Maria da Penha que se(te) cuide...

abraço!

ઇઉ Angeliz disse...

Realmente, sabe bem as palavras que uma cadela diz.....rsrsrs
Adorei o gelo orientado magneticamente.............rsrsrs

Bjs

Thiago disse...

Sensacional.

O tom das palavras passa um sentimento tão explosivo ao passo que contém nosso corpo. Uma delícia de texto. Parabéns =)

Pequena Notável disse...

E verdades seguras? te interessam também? Esse texto é maravilhoso, mostra a perspectiva de uma mulher (coisa que nem todo homem consegue entender), mas não foi apenas uma perspectiva superficial, cada detalhe intimo (esqueça o fluido corporal) foi revelado e de uma maneira agradável, adorei esse texto.

Isabelle disse...

Ola Sr Jonatan

Estou passando para agradecer o carinho por estar seguindo o meu, e dizer que é sempre bem vinda ao meu cantinho!

Saudaçoes
{isabelle}_L. Roane

Mariii disse...

Ai ai ai... esse blog já está criando teias de aranha denovo rsrsrsrsrs
Cade a atualização? :P
Bjss

MRC disse...

Você realmente não vale muita coisa.
Por isso que te sigo, insolente.

Thati disse...

Aí que é que está... lendo isso cantei Chico Buarque: "na presença dele eu me calo /eu de dia sou sua flor /eu de noite sou seu cavalo /A cerveja dele é sagrada /a vontade dele é a mais justa".
E não espere que eu fique 100% slave lendo seus textos cretinos chupando o sexo ironico e inteligente neles. Não ficarei!
Essa é a boa notícia: Vou negar até a morte esse desejo de castigar você com minha submissão. Todo o seu corpo já se esforçou para fazer o sexo mais que bem feito, e no fim sentiu que era só um gozo tipo impressionista? Eu já. Por isso a delicia do teu texto: gozar sorrindo e sofrendo.
I lov u.
T.

Delirios da Mel disse...

Assustador o poder (parece) que vc tem de conhecer a alma feminina...
estou revendo meus conceitos.
Adorei o post.
Bjs
Lu

ariska disse...

Quero.. não quero.. quero. medo.. não quero.. quero.. medo.. tesão.. quero. vixiiiiiiiii

São tantas emoções conflitantes.. Tanto poder.. e...

Q fomeeeeeee.. :)