Páginas

segunda-feira, 26 de junho de 2006

Sombras


Soturna não é apenas a noite
Que se esconde atrás do teu sorriso
Brilho calado, distante e puro
Mistério que transcende o teu ser

Estranho é aquele que repousa em teus braços
Que de todos os laços tenta se desprender
Mas não foge de ti e sim dele mesmo
Pois sabe que amar é perder-se nos braços de alguém

Não é um alguém que ele escolheu ao acaso
Mas o acaso escolheu ela pra ser o alguém
Um alguém que não é ninguém
Pois ninguém nunca poderá ser alguém

E como pano de fundo... o céu noturno
Cheio de estrelas a cintilar
Porém nada brilhantes como a luz do teu olhar

26/06/06

Nenhum comentário: