Páginas

quinta-feira, 18 de janeiro de 2007

Quase epitáfio de despedida...

Hoje é um bom dia de me olhar no espelho...
E tal vez entender o que eu sou
Garoto mimado, com medo e sem sono
Acordado sonha e não sonha em preto e branco

Não sou Diofanto pra tentar matematizar meu epitáfio
Mas muitos números eu tive na minha curta história
Números inteiros, feitos de carne e osso
Outros pedaços, de sentimentos e sensações

Um dia tive cabelo de anjo
Enroladinho com cachinhos dourados e tudo mais
Logo os cachos se foram
E a pureza e a inocência nunca mais

Sim, amores tive alguns
Alguns insanos e outros sensatos
De todos os gostos e de todos os cheiros
Mesmo que deles tenha só ganhado um olhar

Sim, muitas vezes eu errei
Errei por ficado tão dentro de mim
E não ter olhado o mundo a minha volta
Palavras ainda cortam mais do que espadas

Sim, louco eu sou
Louco por não aceitar as coisas do jeito que elas são
Meu egocentrismo é o meu arquinimigo
Existe ainda um mundo bonito dentro da minha cabeça

Acho que tenho vários amigos
Poucos talvez possam verdadeiramente me ajudar
O mundo talvez seja mesmo constituído por apenas 2000 pessoas
E todos os outros talvez seja apenas figurantes

Sim, meu cachorro é ninja
Pois é ele que abana o rabo pra mim todos os dias
Fiel, pois mesmo quando não brinco com ele
No outro dia ele não lembra mais que não brinquei

Sim, ainda quero voar
Voar para dentro de mim
Tentar achar aquilo que perdi
Que o tempo levou e não percebi

Não, não me esqueço de nada que fiz
Principalmente das promessas que tive que quebrar
Infelizmente as regras mudam
Pois o show tem que continuar

No espelho vejo tudo ao contrário
Meu narcisismo me repele de meus defeitos
Sim, eles são maiores que minhas qualidades
Qualidades e defeitos que na minha balança
Não tem o mesmo peso ou quantidade

Queria ser mais humilde
Queria ter menos tesão
Queria ser mesmo revoltado
Queria até ser mais bonito

Sim, fui muito malvado
Machuquei muitas pessoas
Não foi com má intenção
Muitas vezes era apenas a minha auto-proteção

Um "firewall"(eu ainda odeio a lingua inglesa)
Fogo... Isto sim é o meu problema
Hedonista eu sou
Talvez este seja o meu elo animal

Animal que não pode ser qualificado como qualquer outro
Eu não sou diferente, nem tão pouco igual
Apenas sou eu
Estranho, ilógico, bizarro e anormal

Não concluo nada
Nem deixei o mundo melhor
Talvez arranquei alguns sorrisos de poucos
De poucos que estiveram perto de mim

Minha transcendência...
Vive no sorriso puro de uma criança

Nenhum comentário: